Geração Z: Consumo, influência e ativismo

Business

O relatório do Edelman Truste Barometer 2022, chamado de “A Nova Dinâmica da Influência”, mostra o impacto que a Geração Z tem na influência do consumo e como estão ligados ao ativismo.

Nos 13 países que o estudo foi realizado, a pesquisa consultou 13.700 brasileiro maiores de 18 anos e  sondou mais 6.700 dos 13 aos 17 anos. E a Geração Z adulta, nas faixas etário entre 18 e 26 anos. Segundo o estudo, os jovens e adolescentes alteram de forma significativa como os adultos, consomem, se informam, investem, economizam e se posicionam. Para 59% dos brasileiros, os mais jovens exercem influência também sobre como eles “apoiam as causas com as quais se importam”, no mundo essa média fica em 52%.

Muito além das compras

Os Z também influenciam nos aspectos do cotidiano das outras gerações. Realizado desde 2018, o estudo mostrou que compram por convicções, crenças e afinidades, tornaram-se um padrão crescente, ainda mais quando se trata dos mais jovens e pode ter relações com as redes sociais. No Brasil, dos que tem até 26 anos, 74% criam ou compartilham conteúdo uma, ou mais vezes por semanas. E veem isso como uma forma de mudar o mundo.

Como as marcas devem se posicionar?

Edelman identificou fatores essenciais para o posicionamento das marcas.

  • 75% relação com empregado;
  • 64% mudanças climáticas;
  • 60% desigualdade econômica’
  • 45% justiça racial;
  • 47% geopolítica.

A pesquisa aponta que os consumidores mudam completamente seu hábito de consumo, dependendo de como as marcas atuam em cima desses temas. Marcília Ursini, vice-presidente executiva de clientes de consumo da Edelman Brasil, diz que:

“Mais do que a convicção, a proximidade por assuntos de interesse público são novas verticais para a decisão de consumo”.

O momento é de ação para Ursini.

“Ainda que um produto ou serviço não seja direcionado à geração Z, as marcas têm de entender que precisam estar no centro da estratégia e da comunicação”, comentou.

“As marcas precisam estar conectadas com o mundo real. Essa é a mensagem central, cumprir o fazer ao invés de apenas falar, e mostrar isso claramente àqueles que podem influenciar todos os perfis de compradores”, completou.

Fonte/Créditos: EXAME

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *